Brasil 2014 – Sim, mas com cuidados

novembro 5, 2007 às 10:25 pm | Publicado em brasil, nerdices | 5 Comentários

Semanda passada a FIFA oficializou o que há meses já era esperado: O Brasil vai ser a sede da Copa do Mundo de 2014. Desde que a Colômbia desistiu, o Brasil era o único candidato a sediar 2014, que dessa vez será na América do Sul. Foi uma decisão bastante controversa e os diferentes pontos de vista logo apareceram.

A discussão rendeu até um artigo bastante polêmico de Brian Homewood, em que ele deixa subentendido que seria um absurdo um país que não consegue nem manter sua malha aérea estável, sediar um evento de projeção mundial. Acho que o fato de um país subdesenvolvido sediar uma Copa do Mundo não deve ser levado como um absurdo. É verdade que o Brasil tem muitos problemas que precisam ser sanados e várias crises que precisam de soluções imediatas, mas não acho que devemos duvidar do potencial de uma das maiores economias do planeta em organizar um evento esportivo.

Sou a favor de o Brasil sediar uma Copa do Mundo desde que, e somente se, forem tomados algumas precauções para cometer erros clássicos. Para começar, o investimento deveria ser proveniente de capital privado e o governo poderia ajudar com uma pequena parte e o que for feito não deve ser superfaturado. A maior dificuldade em sediar uma Copa do Mundo está no dinheiro que deve ser dispensado para infra-estrutura, serviços e estádios, portanto as obras não devem ser feitos ao estilo brasileiro de robalheira superfaturamento.

Antes de mais nada, quero saber onde é que está toda aquela utilidade do tal do novíssimo estádio João Havelange. Esse estádio está sendo alugado mensalmente para o Botafogo por 1.800 reais. O Corinthians para 30 mil reais para o São Paulo por jogo que ele aluga no Morumbi. João Havelange foi, no mínimo, um erro. E dos feios.

O pretexto para a realização do Pan no Rio de Janeiro foi que o evento traria benefícios sociais e as obras feitas seriam úteis para futuros projetos e realizações. Faz sentido, se tiver dinheiro pra manter tudo o que fizeram. No Rio vive apenas uma parte da população nacional e o interesse e incentivo a esportes alternativos é muito baixo. A Copa do Mundo, por outro lado, será sediada em 18 cidades e o investimento será apenas em futebol – inegável paixão brasileira.

Essas obras para 2014 tendem a melhorar toda a infra-estrutura de transporte e serviços em importantes cidades brasileiras. Na verdade, acho que já estava mais do que na hora de lugares estratégicos serem reformados e adequados a um padrão que não faça um brasileiro sentir vergonha de receber um estrangeiro. Outro dia mesmo, fui pegar um gringo em Cumbica e fiquei envergonhado ao sair do aeroporto com ele por causa do cheiro horrível Tietê e das favelas que ocupam parte do caminho que leva de Cumbica a São Paulo. Welcome to Brazil!

Por outro lado, é realmente difícil acreditar num país que não consegue se recuperar de um colapso do sistema aéreo. Por esse lado, o artigo do Homewood faz sentido. Outra questão é se o capital dispensado nessas reformas não poderia ser melhor gasto com melhorias sociais. Acho que tem que tomar um pouco de cuidado com essa história de dispensar capital em melhorias sociais. Acredito que um dos motivos para o Governo apoiar tanto Brasil 2014 é que ele sabe que vai perder as eleições de 2010. Assim , fica muito fácil criticar o futuro governo quando o atual estiver na oposição.

A Copa é uma chance de criar uma oportunidade pra combater a violência, problemas de infra-estrutura e estimular setores fracos da economia brasileira, como o turismo e o alto setor de serviços. Por outro lado, tudo deve ser muito bem planejado e organizado para não cair nos erros do Panamericano. Enfim, como diria um político famoso, o Brasil vai roubar mas vai conseguir fazer.

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.