Simpsons no Brasil: polêmica pra quê?

fevereiro 7, 2008 às 8:25 pm | Publicado em boteco, brasil, diversão | 10 Comentários
Tags: ,

Em 2002, a FOX fez o episódio dos Simpsons Blame it on Lisa (S13E15) cujo tema é o Brasil. Isso mesmo, aquele episódio em que os Simpsons vão para o Rio de Janeiro e tudo de normal errado acontece. O mais interessante é que o episódio não fez sucesso só no Brasil e chegou a concorrer ao prêmio de melhor roteiro de televisão nos EUA.

O episódio ficou bem polêmico entre os que assistem a série aqui no Brasil (e no mundo) e, de fato, é de tirar o chapéu: um sitcom muito bem feito. Mas é Simpsons: não espere ver uma imagem linda do Pão de Açúcar; você vai ver cobras e macacos pelas ruas do Rio, Lisa dentro de uma favela e por aí vai.

https://i0.wp.com/www.devir.com.br/php_imagens/album/gde_noticia21112002b.jpg

O episódio é bem diferente do convencional, sai um pouco da rotina do Bar do Moe. E tudo fica mais engraçado se você assistir com algum outro brasileiro: foi incrível ver um colega meu puto quando viu a imagem do Brasil manchada lá fora. As furadas vão desde Homer sendo sequestrado até Bart aprendendo spanish no avião. Só faltou o tráfico de órgãos.

É tudo exagerado, claro, mas vale a pena assistir. Embora alguns canais de TV gringos já tenham conseguido fazer algum programa decente sobre o país e algum documentário que mereça respeito, pode ter certeza que a mensagem do episódio é a imagem exata do país na gringolândia.

Então fica aí o aviso: TV também é cultura – na próxima vez você que mostrar seu passaporte verdinho (agora é azul 🙂 ) prum gringo, tente imaginar o que ele pode pensar de você.

Você pode baixar o episódio 15 via torrent da temporada 13 da série, ver metade do episódio no Youtube ou então ler o resumo de tudo que acontece no episódio.

gta-rio

Humm…pensando bem, os Simpsons mostraram direitinho como é o Rio…

Anúncios

Explicação: Coca Cola + Mentos

fevereiro 4, 2008 às 4:41 pm | Publicado em boteco, diversão, nerdices | 143 Comentários
Tags: , , ,

Nem precisa introduzir o efeito, todo mundo já, pelo menos, ouviu falar. A bala reage com o refrigerante causando uma explosão. Youtube está infestado de vídeos de gente demonstrando a explosaozinha. Teve até uma história aqui em São Paulo que um aluno do Dante Alighieri capotou na escola depois de comer balinha e tomar Coca Cola. Massa.

Afinal, Virgínia, que raios acontecem com a Coca Cola para explodir com Mentos?

O texto abaixo é ultra-nerd. Se você não gosta de física quântica, ainda não decorou a teoria da relatividade de trás para frente e acha que a única coisa que Einstein fazia era mostrar a língua pros outros, CORRA!

Os refrigerantes, de uma forma geral, são feitos de água, açúcar, conservantes e fórmula química do sabor – que costuma ser um segredo e varia de bebida para bebida. Ah, e também tem um gás, o gás carbônico (CO2), que é a chave de todo o processo.

Primeiro de tudo, o gás sempre fica na superfície do líquido por causa da diferença de densidade gás-líquido. Na fábrica da Coca Cola (não, ela não fica no Pólo Norte) esse gás foi bombeado a alta pressão com o objetivo de aumentar a solubilidade do gás no líquido. A Coca Cola é, então, uma solução supersaturada de gás carbônico.

https://i1.wp.com/img.qj.net/uploads/articles_module/66255/co2h2op_qjpreviewth.gifAs moléculas de água na superfície se atraem fortemente, formando o que se chama de tensão superficial. Essas forças fazem com que as moléculas de gás carbônico fiquem cercadas de inúmeras moléculas de água, impedindo, assim, a formação de bolhas de gás dentro do líquido. A reação que ocorre é a seguinte:

CO2(g)   +   H2O(l)   <=>   H2CO3(l)    (∆H < 0)

Quando jogamos um Mentos na garrafa de Coca-Cola, a gelatina e a goma arábica da bala se dissolvem, quebrando a tensão superficial (dissipam energia para o sistema). O esquema do desenho é quebrado e as bolhas começam a se formar.

O Mentos, por sua vez, é uma bala extremamente porosa com milhares de buraquinhos na sua superfície – lugares ideias para as bolhas de gás carbônico se formarem. A bala quando cai na água, vai direto para o fundo, liberando mais e mais gás do refrigerante.

O gás é liberado em alta pressão, em milhares de bolhas e sem resistência por parte do líquido. Aí já sabe…

Ah, lembra do aluno do Dante Alighieri que a gente matou láááá em cima? Balela, ninguém morre com isso não, veja o pronunciamento do colégio.

Pra acabar, o legal desse processo é que depende só do gás carbônico, então dá pra fazer com água com gás, Sprite e até com o polêmico Red Bull.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.